Negócios > Hardware

Remessas globais de PCs devem cair, mas de smartphones crescerão 5% neste ano

No geral, as remessas mundiais de PCs, tablets e smartphones deverão ter ligeiro declínio de 0,3% em relação a 2016, de acordo com o Gartner, que avalia que o mercado deve voltar a crescer em 2018

27 de Julho de 2017 - 17h32

As remessas mundiais de PCs, tablets e smartphones deverão exceder 2,3 bilhões de unidades neste ano, um declínio de 0,3% em relação a 2016, de acordo com projeção do Gartner. O instituto de pesquisas avalia, no entanto, que o mercado deve voltar a crescer em 2018, com um aumento de 1,6% nas remessas.

"No geral, o crescimento de remessas do mercado de dispositivos está estável pela primeira vez em muitos anos", afirma Ranjit Atwal, diretor de pesquisas do Gartner. "As remessas de PCs são ligeiramente mais baixas, enquanto as de smartphones estão um pouco maiores, levando a uma reconsideração da leve queda nas vendas da previsão anterior."

As remessas de PCs estão em ritmo de queda de 3% neste ano, mas a taxa de declínio é menor do que nos últimos anos, atenuada pela renovação dos estoques dos canais de vendas de máquinas como o sistema operacional Windows 10. Os preços de componentes como memória DRAM e discos rígidos SSD continuam a aumentar, criando turbulência para o mercado global de computadores e — em menor escala — para o de smartphones. O impacto do preço dos componentes de PCs será reduzido para os compradores, já que os fabricantes absorvem parte do custo em suas margens, com receio de possível redução de sua participação em um mercado competitivo.

“Os consumidores de computadores continuam a priorizar a qualidade e a funcionalidade em vez do preço”, diz Atwal. “Muitas organizações estão chegando ao final de seus períodos de avaliação para o Windows 10 e agora estão aumentando a velocidade com que adquirem novos PCs, já que é possível ver benefícios claros de uma melhor segurança e um hardware mais novo.”

Remessas de smartphones crescem

As remessas globais de smartphones crescerão 5% neste ano, atingindo aproximadamente 1,6 bilhão de unidades. Os gastos dos usuários finais continuam a mudar de celulares utilitários de baixo custo para smartphones "básicos" e "premium" com preços mais elevados. O mercado de smartphones agora é mais dependente de novos dispositivos que oferecem algo diferente, uma vez que os usuários estão ampliando seus ciclos de compras e precisam ser atraídos para a substituição.

“O Samsung S8 e o S8 Plus tiveram um forte impacto até o momento, com usuários afetados por problemas de bateria do Note 7 no final de 2016. Esse bom começo aponta para uma recuperação da Samsung”, comenta Roberta Cozza, diretora de pesquisas do Gartner. “O crescimento contínuo de smartphones premium neste ano será altamente dependente da edição de aniversário do iPhone da Apple, que deve trazer atualizações de design e de funções mais profundas do que as últimas versões. Os anúncios recentes da Apple indicam que algumas novas tecnologias e funcionalidades também podem aparecer no próximo lançamento do iPhone em áreas como realidade aumentada e aprimoramento do aprendizado de máquina.”

Mais Lidas

O mercado de smartphones “básicos” deverá registrar 686 milhões de remessas neste ano, um aumento de 6,8% em relação a 2016. “Os consumidores já aceitam maior valor agregado pela alta capacidade dos aparelhos básicos em comparação com os dispositivos utilitários de baixo custo. Portanto, os preços médios de venda dos smartphones de faixas média e alta continuam a crescer”, ressalta Roberta. “Os fornecedores chineses estão atualmente impulsionando smartphones básicos com sensação e recursos premium. Assim, o mercado continuará a fortalecer a mudança de telefones utilitários de baixo custo para smartphones básicos.”

Novas tecnologias: demanda fraca

A base total instalada para esses dispositivos é atualmente de cerca de 7 bilhões de unidades, portanto, os fornecedores estão constantemente procurando maneiras de adicionar novos recursos que possam oferecer aos seus produtos uma vantagem no mercado. Muitas tecnologias novas, como inteligência artificial (IA) e assistentes pessoais virtuais (VPAs, na sigla em inglês), crescerão em adoção durante o período da previsão, mas é difícil ver qualquer impacto revolucionário nas versões iniciais.

"Hoje, a experiência do usuário com novas tecnologias como IA e VPAs é frequentemente abaixo do que é encontrado no restante dos dispositivos e o custo para aumentar rapidamente o padrão é proibitivo em relação aos benefícios", diz Atwal. "No curto prazo, o mercado de dispositivos continuará a ser impulsionado por avanços incrementais na tecnologia tradicional. Mas, em três ou quatro anos, esse mercado começará a ver mudanças significativas nos padrões de uso e formato, especialmente quando a tecnologia sem fio 5G for introduzida."

Remessas Mundiais de Dispositivos por Tipo, 2016 – 2019 (Milhões de Unidades)

Tipo de Dispositivo

2016
2017
2018
2019

PCs tradicionais (Desktops e Notebooks)

220
203
195
191

Ultraportáteis (Premium)

50
59
72
82

Mercado de computadores

270
262
267
272

Ultraportáteis (Básicos e Utilitários)

169
160
159
158

Mercado de dispositivos de computação

439
424
427
432

Celulares

1.893
1.904
1.936
1.934

Mercado potal de dispositivos

2.332
2.326
2.362
2.363
Observação: A categoria Ultraportáteis (Premium) inclui dispositivos com produtos como o Windows 10 Intel x86 da Microsoft e MacBook Air da Apple. A categoria Ultraportáteis (Básicos e Utilitários) inclui dispositivos como iPad, iPad mini, Samsung Galaxy Tab S2, Amazon Fire HD, Lenovo Yoga Tab 3 e Acer Iconia One.
Fonte: Gartner (Julho de 2017)