Internet > Padronização

Mais nove cidades brasileiras terão domínios exclusivos sob o ".br"

Entre as novas opções estão nomes como "osasco.br", "bsb.br", "maceio.br" e “rio.br". Confira o calendário e registre um domínio com o nome de sua cidade

11 de Julho de 2017 - 18h07

Empresários, profissionais liberais, prestadores de serviço e usuários de internet interessados em ter nomes de domínios associados aos nomes das cidades de Osasco, Brasília, Maceió, Aracaju, Cuiabá, Uberlândia, Natal, Rio Branco e o Rio de Janeiro terão em breve novas opções para registrar domínios ".br".

Definido a partir das sugestões da comunidade da internet por meio do site da Campanha Cidades ".br", o novo conjunto de domínios será disponibilizado no site do Registro.br nos meses de julho e agosto. Os usuários poderão, por exemplo, registrar domínios como: "meunome.aju.br", "minhaempresa.bsb.br", "minhaideia.rio.br" entre outras inúmeras opções para cada uma das cidades.

Confira as datas e os novos DPNs criados:

•10/7 - osasco.br - Osasco

•13/7 - bsb.br - Brasília

•17/7 - maceio.br - Maceió

•20/7 - aju.br - Aracaju

•24/7 - cuiaba.br - Cuiabá

•27/7 - udi.br - Uberlândia

•31/7 - natal.br - Natal

•03/8 - riobranco.br - Rio Branco

•07/8 - rio.br - Rio de Janeiro

A campanha, iniciativa do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), entidade responsável pelo registro de domínios .br, recebeu cerca de 7,6 mil sugestões para as 46 cidades participantes em apenas dois meses de campanha, e contabiliza mais de 11 mil registros para os domínios de cidades criados e já disponibilizados: João Pessoa (“jampa.br”), Florianópolis (“floripa.br”), Porto Alegre (“poa.br”), Vitória (“vix.br”), Belém (“belem.br”), Recife (“recife.br”), Macapá (“macapa.br”), ABC Paulista (“abc.br”) e São José dos Campos (“sjc.br”). As estatísticas e lista completa estão disponíveis em: registro.br/estatisticas.html.

"Reforço o convite para que todos continuem participando e assim contribuam com a definição dos domínios das cidades que ainda estão para serem definidos”, destaca Demi Getschko, diretor-presidente do NIC.br.