Especial - IT LEADERS > IT Leaders 2015

Governo usa mobilidade como alavanca

Sandra Dias, da Inmetro, encontrou nos aplicativos móveis a plataforma ideal para o desenvolvimento de serviços de utilidade pública para o cidadão

30 de Outubro de 2015 - 01h12

Às vezes, algo relativamente pequeno pode desencadear uma revolução de grandes proporções. Foi mais ou menos isso o que ocorreu no Inmetro. O instituto começou a trabalhar no desenvolvimento de um aplicativo móvel para que pessoas avaliassem serviços. A ferramenta digital vinha com a missão de promover melhores relações de consumo, criar um ranking positivo de empresas e ajudar a direcionar políticas públicas.

O projeto ganhou outras proporções e ocasionou uma transformação profunda na organização. “Começamos a sentir a necessidade de criar um novo modelo de atuação”, comenta Sandra Dias, coordenadora-geral de TI da entidade, sinalizando que, naquele instante, surgiu a necessidade de formalizar um modelo bimodal.

A partir daí, o Inmetro criou uma nova abordagem de tecnologia. A revolução fez surgir um ambiente capaz de desenvolver soluções que consigam atender não apenas às demandas de consumo interno, mas fornecer serviços mais ágeis aos cidadãos, algo extremamente necessário a um órgão público. “O espírito hoje é completamente diferente”, comenta.

FINALISTAS DA CATEGORIA

Claudia Maria de Andrade
Receita Federal
CIO

Projeto de maior destaque para os negócios no momento: Sistemas que ampliam o relacionamento digital com os contribuintes. Essa tem sido uma das diretrizes do órgão, que evolui as ferramentas focadas na entrega do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF). Recentemente, a entidade ampliou serviços em plataformas móveis.

Visão de inovação corporativa: A RF trabalha em um projeto de “Reconhecimento Biométrico Facial”, aperfeiçoando o controle aduaneiro, com modernização de sistemas de inteligência e cruzamento de informações.

Lucia Almeida
Apex-Brasil
CIO

Projeto de maior destaque para os negócios no momento: A agência atua com a missão de preparar empresas brasileiras para que avancem em seus processos de internacionalização. Em linha com esse objetivo, grande parte do esforço recente da TI do órgão se concentrou em adotar ferramentas de comunicação e colaboração, de olho em escritórios fora do Brasil.

Visão de inovação corporativa: Os projetos, atualmente, primam por um melhor atendimento a clientes em outras geografias, evitando o aumento dos riscos operacionais.