Cloud Computing > Cloud Privada

Farmoquímica migra ambiente de TI para nuvem e troca banco de dados

Companhia leva soluções para cloud, ao mesmo tempo em que substitui o banco de dados SQL pelo HANA, num movimento preparatório para adoção do S4/HANA

08 de Agosto de 2017 - 19h53

A Farmoquímica (FQM), uma das maiores indústrias farmacêuticas do país, está migrando seu ambiente de TI, incluindo as soluções SAP, para a nuvem. Iniciado em maio deste ano, o movimento prevê ainda a substituição do banco de dados SQL pelo HANA e, posteriormente, a adoção da solução SAP S4/HANA.

A FQM atua na indústria farmacêutica através da produção e comercialização de medicamentos sob prescrição médica. Com duas plantas de fabricação — uma de 26.000 m2 e outra com 1.200 m2 de área construída — na cidade do Rio de Janeiro, sua linha de produtos conta com mais de 40 medicamentos de marca, utilizados em diversos segmentos terapêuticos.

Conhecida pelo seu pioneirismo na produção de determinados tipos de medicamentos, sobretudo os hormonais, a FQM adquiriu outras empresas e lançou novas linhas de negócios. O crescimento trouxe complexidade para a operação da companhia, que já há alguns anos vem realizando atualizações tecnológicas baseadas em diferentes soluções SAP, incluindo, entre outras, o SAP ERP ECC, SAP Afaria, SAP Ariba e SAP BPC. Agora, a empresa decidiu levar todo seu ambiente de TI para a nuvem.

Karla Fonseca, CIO da FQM, conta que a decisão veio de uma necessidade prática. “Nossos servidores estavam perdendo a garantia e teríamos que fazer um investimento bastante alto no refresh dessas máquinas”, diz. Alguns estudos realizados no mercado demonstraram que, no caso das soluções SAP, seria mais vantajoso levar o ambiente para a nuvem, adotando a plataforma SAP HANA.

A CIO da FQM revela que os estudos para retirar o ambiente de TI de dentro da empresa, reduzindo a exposição a riscos, começaram em 2014. “Nesse período definimos que levaríamos todo o nosso ambiente de TI para a nuvem”, revela. No final do primeiro trimestre de 2017, a equipe de Karla, juntamente com os times da SAP, definiu as duas fases do projeto.

Na primeira, realizada entre os meses de março e abril, todos os ambientes —SAP e não SAP — foram migrados para a nuvem da IBM. Na segunda fase, prevista para os meses de maio e junho, foi feita a implementação do Enhancement Package 7 no SAP ECC, levando o sistema para a suíte SAP on HANA. “O go live final foi realizado no dia 20 de junho. Tudo correu dentro do planejado”, comemora a executiva.

Serviço premium

Karla lembra que, para a realização do projeto, sua equipe precisava de suporte e apoio que iam além do convencional. “Foi quando nos apresentaram o serviço Premium da SAP. Foi deles a responsabilidade pelo desenho do projeto de migração”, revela. Além disso, o escopo do serviço incluiu também a participação de profissionais especializados que cobriram um gap de conhecimento interno da FQM.

Mais Lidas

“O serviço também nos permitiu trazer conhecimento para dentro de casa”, diz Karla, lembrando que esta participação foi fundamental para a estratégia e desenho do projeto. A equipe de serviços da SAP esteve envolvida diretamente em iniciativas como: adaptação e ajustes de Abaps, desenvolvimentos específicos para atender necessidades peculiares da indústria de atuação da FQM; e apoio em momentos delicados do projeto em relação a entregas de outros parceiros.

Ao todo, o projeto envolveu cerca de 40 pessoas. Do lado da FQM, foram 13 pessoas da área de TI e mais 16 usuários-chave das áreas de negócio e de garantia de qualidade. Além destes, havia mais três profissionais da IBM e cinco profissionais SAP on-site. Do time SAP, havia também a equipe de retaguarda e profissionais altamente especializados, da equipe global da companhia, que atuavam remotamente. Mais de 70% do projeto foi conduzido remotamente. “A equipe conseguiu trabalhar nesse modelo com muita tranquilidade”, atesta Karla, lembrando que, apesar de rápido, o projeto foi complexo. “É um modelo que veio para ficar e deve prevalecer nos próximos projetos da FQM”, diz.

"Através dos serviços profissionais da SAP, disponibilizamos para a FQM o suporte necessário para que os objetivos estabelecidos para o projeto fossem atingidos. O suporte da equipe da Farmoquímica foi essencial para entregarmos tudo dentro dos prazos e custos planejados", comemora Sérgio Cruz, vice-presidente de vendas de serviços da SAP Brasil.

Com o novo ambiente em operação, a FQM agora colhe os frutos de uma estrutura com melhor desempenho e, principalmente, com maior facilidade de acesso aos dados, que agora podem ser acessados diretamente em algumas ferramentas. Para Karla, estes resultados são fundamentais para os planos da companhia, que agora prepara seu ambiente para adotar, no futuro, a plataforma SAP S/4 HANA.