Tecnologia > Governança

8 principais orientações ao CIO hospitalar

Estar atento a tudo o que pode acontecer na área de tecnologia, auxilia os profissionais de saúde para que a maioria das ações ocorra da melhor maneira possível, enfatiza guia da Pixeon

27 de Julho de 2017 - 11h27

O CIO é o grande responsável por implementar, de forma gradual e proveitosa, as amplas opções tecnológicas em um ambiente hospitalar. Portanto, estar atento a tudo o que pode acontecer na área de tecnologia, auxilia os profissionais de saúde para que a maioria das ações ocorra da melhor maneira possível.

Para orientar os gestores de TI hospitalar na execução dos recursos e em suas decisões, a Pixeon, desenvolvedora brasileira de soluções para medicina diagnóstica e laboratorial, elaborou um guia, em parceria com David Oliveira, CEO da Decida e sócio-diretor da ItechMed, que serve como base o planejamento, coordenação e gerenciamento do ambiente de TI.

1. Separar um tempo para se dedicar estrategicamente à área

Alguns profissionais da área de tecnologia costumam investir boa parte de seu trabalho para suprir as demandas operacionais e, sem perceberem, dedicam pouco tempo para definir objetivos mais estratégicos. É importante adquirir o costume de sempre observar os gargalos a fim de encontrar soluções e, assim, evitar possíveis barreiras durante a implantação de novas tecnologias.

2. Pensar no desenvolvimento da área e no sucesso da instituição

Pesquisa realizada pela Robert Half aponta que 26% dos executivos consideram a habilidade de resolução de problemas a principal para os profissionais de tecnologia. Não perder oportunidades e sair da inércia são os primeiros passos para o sucesso.

3. Investir na comunicação com a equipe

Na área da saúde, o CIO precisa estar integrado e sempre ao lado da equipe, seja o corpo clínico ou demais profissionais. É preciso manter a escuta atenta e a conversa constante para analisar as demandas e assegurar que as necessidades sejam definidas. É essencial entender as funções desempenhadas por cada um visando a integração de todos os fluxos por meio da tecnologia.

4. Investir em inovação para a área

Estudo realizado pelo Gartner estima que em menos de cinco anos, mais de dez novas tecnologias serão lançadas no mundo. Assim, é importante saber quais são as tendências da área, sem esquecer a capacidade e as limitações de infraestrutura da instituição para implantá-las.

5. Formar o Comitê de Tecnologia da Informação

É importante reunir representantes de vários setores em um grupo para validar os processos e o plano de investimentos em tecnologia da informação para garantir e fortalecer o processo de alinhamento com as estratégias da instituição de saúde.

6. Ser assertivo com os investimentos em TI

Mais Lidas

O investimento em tecnologia da informação nas instituições de saúde, especialmente em hospitais, costuma girar em torno de 3,5% do faturamento líquido da companhia.

7. Valorizar a segurança de dados

Em pesquisa realizada, a IDC Brasil estima que a receita global com segurança para a tecnologia da informação chegue a US$ 101,6 bilhões em 2020. Assim, é papel do CIO prever aspectos físicos, lógicos e controles de acesso; garantindo que os dados estejam disponíveis e integrados, e cuidando para que apenas pessoas autorizadas tenham acesso a certas informações.

8. Adequar-se às novas funções da TI

A evolução da tecnologia traz novas posições e classificações de infraestrutura e operações. Assim, é importante entender as demandas de tecnologia em cloud, de arquitetura em IoT, sem esquecer a necessidade de evoluir e garantir a integração dessas novas iniciativas.